FHC ressurge em encontro pró-Serra

15 out

 

FHC discursou ontem em encontro na capital paulista

 

 

Não consegui publicar nada ontem. A internet estava fora do ar à noite. Maldito Speedy. Liguei na Telefônica. Após ser atendido e transferido, fiquei mais uns 6 ou 7 minutos ouvindo a música You Are My Sunshine. A música até que é bonitinha, mas extremamente irritante, porque os espanhóis acharam conveniente deixar os consumidores esperando ao som de jingles infantis. Eles deviam incluir também rivotril ou maracujina nos pacotes de contratação. Finalmente fui avisado que o atendimento do Speedy fibra ótica era feito através de outro número. Deixei pra lá e fui ler um livro. O atendimento de telemarketing é um martírio. O governo expediu regulamento sobre isso, determinando atendimento em no máximo 1 minuto, mas só o primeiro atendimento. Depois eles podem deixá-lo esperando o tempo que for conveniente. Falar com o gerente ou com o superior então, nem pensar. Ele nunca está ou quando está não pode atendê-lo no momento. Impossível brigar com essa gente e seu batalhão de formigas treinadas e polidas. Diria até educadas, se não fosse pela prática desenfreada do gerundismo – importado dos gringos – que é tão ou mais irritante que You Are My Sunshine for children. E pior, crêem usar a norma culta do português. Ruy Barbosa deve estar se contorcendo no túmulo. Enfim, após esse desabafo (ufa, até que enfim, seu chato reclamão), volto ao que interessa: eleições.

Ontem ressuscitaram FHC. Ele, que até então havia aparecido apenas na propaganda do senador eleito Aloysio Nunes, veio a público e desafiou Lula a debater “cara a cara”. Em tom provocante, o ex-presidente pediu apoio total à candidatura de Serra e acusou Lula e o governo petista.

FHC é provavelmente o ex-presidente mais injustiçado da história democrática brasileira. Não da história porque generais da ditadura foram tão execrados e abominados que realizações de suas gestões, como a ponte Rio-Niterói e a usina de Itaipu – que Lula aceitou dividir com os paraguaios sem eles terem gasto um centavo sequer – caíram no esquecimento em razão dos estigmas deixados pela tortura e pela censura, as quais se sobrepuseram ao avanço industrial, científico e cultural ocorrido entre 1964 e 1985. Apenas Geisel criou centenas de estatais. Uma delas foi inclusive presidida por Celso Amorim, hoje ministro das relações exteriores e submisso às vontades de Marco Aurélio Garcia. Assim, sob vários aspectos, a ditadura brasileira assemelha-se àquela que a esquerdalha queria instalar em terra tupiniquim.

Voltando a FHC: sua inesperada incursão na campanha tucana pode ser um tiro no pé num momento crescente de Serra. Em São Paulo, sua aparição funcionou para Aloysio Nunes. Mas, será que ela funcionará nos estados mais pobres, onde – em razão da perversidade e da sem-vergonhice petista – ele é visto como o demônio das trevas derrotado por Lula, o libertador de todas as angústias e opressões?

Desafiar Lula duas semanas antes da eleição é dar os artifícios para que ele faça o que sabe melhor: incitar a aversão e a antipatia do povão às elites paulistas, à qual FHC pertence. A manutenção da ignorância e da mediocridade, segundo Chomsky, é um dos fatores necessários à manipulação popular. Lula sabe bem o que é isso e, junto com outros expedientes, conseguiu atribuir a FHC um conceito extremamente negativo. Quem se esquece da herança maldita que ele deixou para Lula? Assim, talvez fosse melhor que sua aparição ocorresse apenas onde sua reputação não foi totalmente maculada e infamada pelo lulismo.

O PSDB cometeu um erro tremendo durante a era Lula – sim, era, porque o Brasil de antes e o de depois são distintos – deixou que o PT desconstruísse e difamasse praticamente tudo que aquilo feito durante o governo tucano. Embora FHC tenha todo o direito de se defender e repelir todas as agressões que sofreu, talvez agora não fosse o momento certo.

 

 

Anúncios

7 Respostas to “FHC ressurge em encontro pró-Serra”

  1. Carlota outubro 15, 2010 às 5:57 pm #

    O que o FHC fez em relação às companhias telefônicas???

    • contradita outubro 15, 2010 às 6:03 pm #

      Privatizou, corretamente. As linhas telefônicas eram extremamente caras quando estatais. Chegavam a custar 5 mil dólares num bairro nobre de SP. Hoje, qualquer pessoa tem. O serviço é mais barato, mais eficiente, as empresas pagam impostos, geram empregos e riquezas.

  2. Rafael outubro 15, 2010 às 8:12 pm #

    Gostaria que você comentasse que a Dilma está processando o Estado Brasileiro, por causa do período em que ela “lutou” pela democracia.

    • contradita outubro 16, 2010 às 12:20 am #

      É um tema interessante. A “bolsa” ditadura virou um bolsão para os amigos do partidão. Vou tentar escrever a respeito.
      Abraços

  3. jose felicio manocchio outubro 16, 2010 às 1:29 am #

    FHC foi abandonado por parcela do PSDB e covardemente demonizado pelos canalhas do PT, sem que fosse devidamente defendido.
    Agora é a hora dele se apresentar com força total e colocar os pingos nos iis, falar com sabedoria (quanta saudade – temos que aturar essa anta do molusco)
    Sempre defendi FHC, pois considero um dos melhores lideres que já tivemos, vamos lá recuperar o tempo perdido e colocar esse pessoal do PT prá correr.
    Felício

    • contradita outubro 20, 2010 às 2:44 am #

      O PSDB e FHC fizeram coisas muito boas para o país, principalmente na economia.
      O lulismo, mentiroso e perverso, fez com que o povo incauto acreditasse que o governo PSDB foi um retrocesso.
      Quando, na verdade, tivemos o plano real, a LRF, o Proer, abertura econômica, criação de projetos sociais assistencialistas (ainda que no final do mandato), criação das agências reguladoras, que desempenham um importante papel na proteção aos interesses da população e no avanço de diversos setores, como elétrico e telefônico.
      E, como o brasileiro tem memória curta, esqueceu-se que o governo FHC passou por inúmeras crises internacionais – México, Argentina, Rússia, Tigres Asiáticos são alguns exemplos. Por isso, FHC saiu com uma popularidade baixa. Pode-se contestar algumas políticas monetárias e cambiais, mas nada que desabone seu governo como um todo. E mais: esquecem-se que o primeiro mandato de Lula, o Brasil cresceu muito pouco. Não devido à herança maldita, como pretendem os petistas, mas porque as bases criadas por FHC ainda se consolidavam. Hoje colhemos os frutos – apesar de outros N problemas que merecem tanto ou mais atenção do que a economia. Ou alguém, em são consciência, acredita que um país como o Brasil pode sair da água para o vinho em 8 anos, como dizem os petistas?

  4. jose felicio manocchio outubro 16, 2010 às 1:31 am #

    Recebi mensagem de amigos que gostaria de repassar, por favor acessem o site:
    http://www.dilmaporquenaovotar.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: